fbpx
Procurar por:
Inteligência artificial como uma ferramenta para venda de carros
Inteligência artificial como uma ferramenta para venda de carros

Já havia considerado a inteligência artificial como uma ferramenta valiosa para a venda de carros? Pois é! Essa tecnologia pode e deve ser aplicada de maneira estratégica em busca do alcance das metas comerciais da concessionária. 

Ficou curioso? Então, continue a leitura para entender melhor o tema e ter acesso a dicas de como implementar a IA no seu negócio. 

Vamos lá?

Os impactos da inteligência artificial no setor automotivo

A inteligência artificial é uma das tecnologias que mais tem se destacado em diferentes áreas. No setor automotivo, ela colabora com a gestão da concessionária, otimização de processos e com o aumento das vendas de carros

Ressalta-se que a Inteligência Artificial (IA) é uma tecnologia que simula a inteligência humana. Aqui, a IA reconhece padrões e associações, por meio da análise de dados, e prever possíveis cenários.

Segundo um artigo, ela também pode ser definida como “a parte da ciência da computação voltada para o desenvolvimento de sistemas de computadores inteligentes que exibem características, as quais se relacionam com a inteligência no comportamento do homem. Pode-se citar como exemplo: compreensão da linguagem, aprendizado, raciocínio, resolução do problema”.

Logo, é aplicada na tomada de decisão automatizada, principalmente em processos repetitivos, com a ajuda de algoritmos. No setor automotivo, essa ferramenta já era bastante utilizada no desenvolvimento de veículos autônomos, por exemplo.

Contudo, atualmente, a tecnologia se tornou mais acessível. Hoje, ela já está atrelada a diversas ferramentas e plataformas de gestão, sem exigir muito investimento.

Sendo assim, é possível utilizar a IA em diferentes momentos, principalmente na busca pelo aumento das vendas de carros. Ela pode ser aplicada no:

  • Marketing digital: na produção de conteúdos, estratégias e ações coerentes com as necessidades dos clientes. Contribuindo para a atração e fidelização deles;
  • Atendimento ao cliente: automatiza respostas de perguntas frequentes, de maneira personalizada. Assim, o comprador poderá obter resoluções rápidas, garantindo uma melhor experiência de compra;
  • Abordagem comercial mais assertiva: com a IA é possível criar um discurso mais persuasivo, assertivo e em conformidade com os objetivos e desejos do potencial cliente. Isso colabora com a efetividade e a conclusão da venda de carros;
  • Desenvolvimento da VDP: a Inteligência Artificial ajuda no desenvolvimento de uma VDP personalizada, completa e atrativa.

Leia também: Transformação digital no setor automotivo: entenda o conceito e seus impactos

Como utilizar IA na venda de carros?

Como utilizar IA na venda de carros?

Pensando no impacto da Inteligência Artificial na venda de carros, reunimos algumas das principais formas de utilizá-la. Entenda como otimizar o dia a dia da concessionária e aprimorar os resultados. 

Veja a lista completa abaixo!

1. Chatbots

Uma das maneiras mais eficientes e conhecidas de utilizar a inteligência artificial é pelos Chatbots. O termo refere-se a uma ferramenta que utiliza a IA para simular uma conversa

Antes mesmo da popularização da IA, o chatbot já era uma maneira de aplicar essa ferramenta nas operações diárias. Por isso, é bastante comum em diferentes setores, inclusive no automotivo.

O Chatbot pode ser programado para automatizar o contato, agilizando o atendimento e garantindo que a atenção dos vendedores seja direcionada às ações mais complexas.

Isso porque o Chatbot pode ser tanto usado no atendimento ao cliente, quanto no próprio processo de compra. Ele é responsável por resolver as dúvidas mais frequentes dos usuários e até ajudar na escolha do melhor veículo e na negociação de preços. Tudo de maneira rápida e eficiente. Reduzindo, então, o ciclo e aumentando a venda de carros

 Sendo assim, é fundamental na:

  • Geração de leads;
  • Segmentação de clientes;
  • Atendimento personalizado e consultivo;
  • Coleta de feedback;
  • Encantamento e engajamento, e mais.

2. Reconhecimento de voz

O reconhecimento de voz é uma possibilidade da inteligência artificial que permite que os clientes interajam, durante a venda de carros, por meio da fala. Assim, o contato será mais aproximado e personalizado

Essa tecnologia é responsável pelo desenvolvimento de agentes virtuais, como a Siri e a Alexa, por exemplo. Eles reconhecem expressões, termos e palavras que ajudam na construção de uma conversa resolutiva.

Em resumo, o reconhecimento de voz ajuda no fortalecimento do relacionamento graças a comodidade da interação conversacional

Até porque, com ela, o seu cliente poderá fazer pesquisas de veículos, agendar test drives, obter informações sobre financiamento, entre outras atividades. O objetivo aqui é garantir uma excelente experiência de compra.

3. Análise de dados

Softwares de gestão podem e devem estar conectados à inteligência artificial para uma análise mais completa e eficiente dos dados. Por exemplo, o CRM da concessionária, com a IA, ajuda no estudo quanto ao comportamento dos clientes e na identificação dos veículos mais procurados, por exemplo. 

Isso ajuda, inclusive, na recomendação de carros mais adequados às necessidades dos compradores. Com base no histórico de compras e de preferências, é possível ajudá-los a encontrar o automóvel perfeito, facilitando todo o processo.

Sendo assim, aqui a IA permite o estudo de grandes quantidades de dados, identificando padrões e tendências. 

Em outras palavras, a tecnologia é capaz de transformar os números em insights valiosos para a geração de estratégias que colaboram com a performance da venda de carros.

Com as informações sobre hábitos de consumo, por exemplo, as concessionárias poderão oferecer uma experiência de compra mais personalizada e eficiente. As ofertas e campanhas de Marketing serão melhor direcionadas para o público que, verdadeiramente, está pronto para realizar a compra. 

Assim, o estabelecimento:

  • Fideliza clientes;
  • Aumenta as chances de fechar negócios;
  • Amplia a competitividade e o destaque mercadológico;
  • Desenvolve estratégias de vendas mais assertivas.

4. Realidade virtual

Por fim, a realidade virtual e a inteligência artificial podem ser usadas como ferramentas de venda de carros. Elas devem trabalhar em conjunto no desenvolvimento de experiências únicas. 

Isto é, essas tecnologias, se juntas, permitem que os clientes experimentem o veículo antes de comprá-lo

Elas podem estar disponíveis em um VPD, por exemplo, possibilitando que visualizem o interior do veículo, façam um test drive virtual e até mesmo personalizem o veículo de acordo com preferências.

Segundo a Veja, já existem montadoras que estão investindo em showrooms digitais interativos e imersivos, como a Fiat e a Kia. Para isso, aplicam o ChatGPT (veremos a seguir) no ambiente digital do metaverso. 

Ambas empresas disponibilizam espaços virtuais para a interação com o carro, facilitando a avaliação. Aqui, o ChatGPT responde às principais perguntas dos usuários, enquanto analisam o carro em questão.

Esse é só um exemplo de como usar a inteligência artificial como ferramenta para vendas de carros. Nesse momento, é importante ser criativo e se apoiar nessa tecnologia para criar estratégias assertivas e encantadoras.

Bônus: principais ferramentas de IA

Bônus: principais ferramentas de IA

Agora que já sabe em quais pontos a IA pode ser aplicada, chega o momento de conhecer, também, algumas das principais ferramentas. Elas, apesar de não serem direcionadas ao setor automotivo, podem ser utilizadas na venda de carros. 

Como, por exemplo:

  • ChatGPT: é um chatboot que responde dúvidas, de maneira criativa e contextualizada. Atualmente, é muito utilizado para o desenvolvimento de conteúdos para redes sociais e sugestões de temas, por exemplo;
  • DALL- E 2: é um gerador de imagens a partir de descrições textuais. Ele pode ser aplicado na criação de ilustrações criativas para conteúdos online, chamando a atenção dos clientes;
  • ChatSonic: tem a mesma premissa que o ChatGPT, mas é mais completo. Essa ferramenta integra os dados do Google, reconhece comandos de voz e gera áudios e imagens a partir de texto. O que colabora com as ações e estratégias de Marketing Digital;
  • Photoshop: a IA no photoshop otimiza ações mais trabalhosas e repetitivas. Por exemplo, permite o preenchimento de uma imagem. Para isso, já realiza os recortes, retoques e edições necessárias;
  • Decktopus AI: ideal para a criação de propostas comerciais. Essa é uma ferramenta que ajuda na produção de uma apresentação mais assertiva. Para isso, basta indicar o assunto, público-alvo e estilo dos slides. Assim, já estará pronto para a revisão e ajustes necessários.

Lembre-se! Essas são plataformas que auxiliam no dia a dia na concessionária. Mas, o ideal é não usá-las como a única solução! É preciso se apoiar nelas para agilizar os processos, sempre revisando o que foi gerado pela IA.

Entenda mais!

A inteligência artificial como ferramenta de venda de carros é só um dos grandes exemplos da digitalização no setor automotivo. Há outras inúmeras formas e plataformas que colaboram com a padronização e automação dos processos no segmento e, consequentemente, com o sucesso dos resultados. 

Para continuar se aprofundando no assunto, clique no botão abaixo e acesse nosso e-Book completo!

Digitalização do setor automotivo
Vistoria veicular para transferência: entenda
Vistoria veicular para transferência: entenda

Você já ouviu falar da vistoria prévia e cautelar, por exemplo, certo? Mas, sabia que há também a vistoria veicular para transferência? Essa é uma ação obrigatória que visa garantir a legalidade e a segurança da transação.

Pensando nisso, reunimos neste texto as principais informações sobre o assunto. Então, continue a leitura para conferir!

Vistoria veicular para transferência: o que é e qual é a importância?

Você sabia que a vistoria veicular para transferência é obrigatória? Pois é! Essa é uma ação exigida por lei, sendo fundamental para a regularização e a legalidade dos processos de comercialização do automóvel. 

Segundo a Resolução CONTRAN nº 941, “a vistoria de identificação veicular, por ocasião da transferência de propriedade ou de domicilio intermunicipal ou interestadual do proprietário do veículo, é de responsabilidade dos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Estados ou do Distrito Federal e poderá ser realizada por pessoa jurídica de direito público ou privado previamente habilitada”.

Essa prática é fundamental para garantir que o veículo esteja em ótimas condições de comercialização. Desse modo, promove maior segurança aos possíveis compradores e até mesmo os vendedores, atestando a veracidade das informações.

Em outras palavras, a vistoria veicular busca validar os documentos do automóvel. E tenta, também, identificar possíveis adulterações, promovendo a efetividade do processo de transação e a adequação do veículo às leis e normas. 

Assim, ela ajuda na prevenção de fraudes ao impossibilitar a transferência de veículos com pendências.

Da mesma forma que a vistoria promove a segurança das vias urbanas. Tendo em vista que garante que o automóvel esteja nas condições necessárias para a circulação. Evitando, assim, acidentes de trânsito.

Para acrescentar, a prática colabora com a valorização do veículo. Isso porque aqueles que possuem documentação regularizada e estão em boas condições tendem a ter um valor de mercado mais elevado. Auxiliando, até mesmo, na negociação de venda.

Cabe ressaltar que a ação da vistoria é bloqueada em veículos sinistrados com laudo pericial de perda total.

Em conclusão, a vistoria veicular é essencial para garantir a legalidade, segurança e transparência na transferência de um veículo. Logo, é um passo fundamental para uma transação bem-sucedida e sem complicações.

>> Leia também: Consulta veicular com a Renave Fácil: saiba como funciona

Como funciona essa vistoria?

Como funciona essa vistoria?

Como vimos, a vistoria veicular para transferência é um processo burocrático obrigatório para a conclusão da comercialização. Essa prática gera um laudo indispensável para a emissão do CRV.

Quem realiza essa operação é o DETRAN, ou empresa/profissional credenciados pelo órgão. Somente eles poderão efetuar a vistoria e emitir o documento com a conclusão final. 

Ainda conforme a Resolução, a emissão do laudo único de vistoria de identificação veicular deve ser realizada exclusivamente por meio eletrônico. E ela só tem validade no âmbito do Sistema Nacional de Trânsito (SNT). 

Mas, para isso, deve ser registrado no Sistema de Certificação de Segurança Veicular e Vistorias (SISCSV). Esse que, por sua vez, é mantido pelo órgão máximo executivo do trânsito da União. 

De todo modo, esse processo avalia diferentes pontos do veículo, desde chassi, até itens de segurança e documentação. Como, por exemplo, motor, sistema elétrico, pneus, CRLV e IPVA. 

Com tudo em dia, o laudo certifica a veracidade e as propriedades do automóvel, permitindo a comercialização. Assim, a vistoria veicular para transferência evita possíveis problemas quanto à regularização do automóvel.

Ou seja, esse processo visa afirmar:

  • A autenticidade da identificação do veículo e da sua documentação;
  • A legitimidade da propriedade;
  • Se os veículos dispõem dos equipamentos obrigatórios, e se estes estão funcionais;
  • Se as características originais dos automóveis e seus agregados foram modificados. E, caso constatada alguma alteração, se esta foi autorizada, regularizada e se está no prontuário do veículo na repartição de trânsito.

Na ocorrência da reprovação, é expedido um relatório com os reparos obrigatórios. Somente após a resolução deles que será possível refazer a vistoria em busca da aprovação.

O que é preciso para realizar a vistoria veicular para transferência?

Para a realização da vistoria veicular para transferência é necessário a separação e a apresentação de alguns documentos. São eles:

  • Documento de identificação do proprietário (RG e CPF);
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor; 
  • Certificado de Registro do Veículo (CRV);
  • Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV).

Importante salientar que, como essa é uma prática realizada pelo DETRAN, um órgão estadual, é possível que alguns requisitos específicos variem conforme a região. Para isso, esteja atento às regras e procedimentos destinados pela entidade do seu estado.  

Como a documentação do veículo também precisa estar em dia, é possível ser necessário levar o comprovante do IPVA e de pagamentos de taxas e multas, por exemplo.

De todo modo, não é preciso que o proprietário esteja presente no processo. Basta que o condutor, que levou o veículo até a vistoria, seja habilitado. E, portanto, apresente a CNH válida e atualizada.

Próximos passos após a vistoria veicular para transferência

Próximos passos após a vistoria veicular para transferência

Depois da vistoria, a transferência de propriedade pode e deve ser feita pelo RENAVE. O Registro Nacional de Veículos em Estoque foi desenvolvido para apontar a entrada e saída de estoque dos veículos dos estabelecimentos

Ou seja, ele é responsável pela comunicação, cadastramento, controle e acompanhamento das transações comerciais dos veículos. Sendo destinado às empresas atuantes no segmento de vendas e compras de automóveis, como lojas e concessionárias. 

A adequação ao RENAVE é obrigatória para o comércio de 0km, em todo o território nacional. Já, no caso dos carros usados, o DETRAN do estado precisa ter aderido ao sistema.

De qualquer forma, a plataforma desburocratiza a transferência de propriedade de veículos. E colabora ainda mais com a segurança do processo porque checa possíveis débitos e restrições, em todos os sistemas. 

Isso só é possível graças à digitalização do processo, que também garante a redução de custos e otimização. Aqui, depois da integração com o sistema do registro, o automóvel já aparece com o status “em estoque”. 

O que, é claro, elimina a espera por cada documento e pelo reconhecimento da transferência por cada órgão. Assim, o veículo já estará pronto para a comercialização pelo estabelecimento. 

Para entender mais sobre esse sistema e continuar se aprofundando no assunto, clique no botão abaixo e realize o download gratuito do nosso infográfico completo.

Tudo sobre o Renave. Acesse e confira o infográfico!

Revenda de carros usados: desafios e como superá-los

Assim como demais setores, haverá sempre algumas peculiaridades do mercado e de consumo que acabam gerando desafios, devendo ser superados. E na revenda de carros usados não seria diferente. 

Pensando nisso, reunimos neste texto os dados atualizados do setor, bem como uma lista com os principais obstáculos e dicas de como contorná-los. Então, continue a leitura para entender!

Vamos lá?

5 principais desafios da revenda de carros usados

O mercado de revenda de carros usados continua se sobressaindo no setor. Segundo dados apresentados pelo G1, a venda de veículos seminovos e usados cresceu 8,6% no Brasil, em 2023. 

Isto significa que mais de 14 milhões de unidades foram comercializadas no ano passado. O que dá uma média de 57.794 por dia útil! 

E, inclusive, os carros mais vendidos, ao longo do ano, foram os com 13 anos ou mais de uso, chegando a 5 milhões de unidades. Esse número representa um aumento de 13,5%, se comparado com 2022.

Já, conforme os dados apresentados pelo AutoEsporte, a venda de carros usados cresceu 14% somente em janeiro de 2024. 

Ou seja, mais de 766 mil unidades foram comercializadas no Brasil. O que é 7 vezes maior que o de veículos 0km.

Não é por acaso que, diante desses dados, a expectativa é de um setor ainda mais lucrativo, com excelentes resultados, em 2024. 

E alguns fatores contribuem para isso. Como, por exemplo:

  • Mudança do comportamento do consumidor (70% desejam comprar um carro, segundo o Extra);
  • Alta dos preços dos automóveis novos;
  • Baixa oferta de carros novos devido à crise dos semicondutores;
  • Queda da taxa de juros e aumento da oferta de crédito.

Contudo, apesar do cenário favorável à revenda de carros usados, esse mercado ainda enfrenta desafios, assim como qualquer outro. Por isso, é fundamental estar atento às transformações e mudanças, para prever contextos e sair na frente da concorrência. 

Pensando nisso, listamos 5 algumas das grandes dificuldades enfrentadas por esse segmento. Veja a seguir!

Leia também: Setor automotivo: tendências para 2024

1. Flutuação dos preços atrapalha a revenda de carros usados

As constantes variações no preço atrapalham a revenda de carros usados. Portanto, mesmo com um cenário benéfico para a comercialização, essas oscilações podem atrapalhar o processo. 

É simples! O aumento da demanda por carros usados pode ocasionar na elevação dos valores deles. 

Por exemplo, segundo números citados pelo InfoMoney, o preço dessa categoria sofreu uma alta de 13,04% no primeiro semestre de 2021. Enquanto os seminovos obtiveram uma variação acumulada de 9,75%.

Além da elevada procura, há inúmeros fatores que impactam essa flutuação. Como, por exemplo:

  • As condições do veículo;
  • A sazonalidade;
  • As mudanças de comportamento do consumidor

Sem contar que a precificação dos automóveis também pode ser um processo ainda mais complexo. Isso porque é necessário encontrar o equilíbrio entre valores competitivos e flexíveis. Ao mesmo tempo em que se baseia na valorização das marcas, média do mercado e custos gerados pela revenda.

Logo, gerenciar a revenda de carros usados, nesse contexto, pode ser um grande desafio.

2. Estoque eficiente e variado

O estoque tem influência direta no sucesso da revenda de carros usados. Afinal, o controle eficiente, aqui, é fundamental para o aumento das vendas e, consequentemente, do lucro

Isto é, veículo parado afeta a saúde financeira do estabelecimento devido à desvalorização e a necessidade de manutenção. Portanto, é indispensável a aplicação de estratégias que aumentem o giro e a rotatividade.

Tudo isso, enquanto garante um estoque diversificado e atualizado para atender as diferentes necessidades, preferências e demandas do consumidor. Desde SUV, passando por carros familiares até os mais econômicos, por exemplo. 

Mas, monitoramento constante e reposição estratégica podem se tornar uma grande adversidade do setor. Sendo assim, é essencial adotar ações que colaboram para o sucesso da gestão.

3. Condições do carro

Outro ponto que costuma atrapalhar o sucesso da revenda de carros usados está relacionado às condições do mesmo. Eles precisam estar em bom estado de conservação. Para isso, deve-se avaliar as procedências do mesmo, em busca de evitar problemas futuros com os clientes.

Para acrescentar, ainda há uma certa dificuldade de encontrar, no geral, carros para a revenda. Que dirá em boas condições e com um excelente histórico. Por isso, inclusive, a consulta veicular é tão importante.

É fundamental avaliar para além do funcionamento e da aparência. Deve-se inspecionar o veículo por inteiro para compreender o real estado dele e se há possíveis problemas capazes de inviabilizar ou dificultar a compra.

4. Competitividade

Como vimos, o cenário é promissor para a revenda de carros usados. Logo, é natural que a competitividade cresça juntamente com o mercado. Conforme a Econodata, atualmente, são mais de 41 mil empresas de comércio de veículos automotores no Brasil!

Isso significa que há diversos negócios disputando os mesmo clientes. Portanto, se destacar nesse cenário é um grande desafio e, até mesmo, uma enorme necessidade.

5. Fidelização do cliente

Por ser um negócio em que a compra recorrente, de um mesmo cliente, é baixa, a fidelização na revenda de carros usados pode ser um grande obstáculo. De todo modo, é imprescindível que o estabelecimento se apoie em técnicas que garantam a satisfação do mesmo. 

Isso não só ajuda a garantir o retorno desse comprador, como, também, impacta na reputação do negócio. Afinal, cliente feliz realiza boas avaliações e faz indicações para pessoas de seu ciclo. 

Aliás, segundo um levantamento, 92% dos consumidores ao redor do mundo afirmam confiar totalmente na indicação de um amigo ou família. Sem contar que, 68% deles confiam em recomendações e avaliações on-line. Essa, inclusive, se tornou a terceira maior fonte de confiança na hora de comprar.

Leia também: Saiba como garantir a experiência do cliente em concessionárias

Como superar esses desafios?

Como superar os desafios da revenda de carros usados?

Lidar com os desafios da revenda de carros usados é obrigatório para garantir o sucesso do negócio. Para isso, é preciso sempre estar atento às tendências do mercado em busca de se manter um passo à frente da concorrência.

Além disso, deve-se investir em marketing e estratégias de vendas eficazes para assegurar a fidelização e o encantamento dos clientes. Da mesma forma, é fundamental apostar em práticas que contribuam para a qualidade e construção do relacionamento com fornecedores.

Mas, para além dessas soluções, deve-se apostar, principalmente, em tecnologia! Isso porque o mercado tem incentivado e recompensado os estabelecimentos que fazem uso delas para aprimorar processos diários.

Em outras palavras, essa adequação quanto a digitalização, no setor, gera destaque mercadológico, produtividade, desempenho e melhores resultados. Até porque as soluções costumam garantir o alcance das demandas do mercado. 

E existem inúmeras tecnologias destinadas à resolução de diversos problemas. Como aquelas para a gestão de estoque, análise de dados e automação de processos, por exemplo.

Inclusive, podemos citar aqui o RENAVE (Registro Nacional de Veículos em Estoque). 

Esse é um sistema tecnológico que nasceu da iniciativa governamental quanto a digitalização. Ele aprimora a eficiência operacional e torna o processo comercial mais produtivo, rápido e seguro ao simplificar a transferência veicular.

E a Renave Fácil é uma plataforma de integração com o RENAVE! Ela foi desenvolvida com o intuito de realizar e simplificar a comunicação entre os estabelecimentos e o sistema.

A plataforma participou do próprio projeto-piloto do RENAVE. Portanto, é uma solução pioneira no setor, com autoridade e credibilidade de quem tem experiência com o sistema.

Tanto no site quanto no aplicativo, a Renave Fácil colabora com a inserção, transferência e a venda de veículos usados. Tudo com maior praticidade, conforto, agilidade, economia e segurança. Eliminando, assim, a burocracia e a morosidade.

Tudo sobre o Renave. Acesse e confira o infográfico!

Conte com a Renave Fácil e solucione os desafios da revenda de carros usados!

O cenário para revenda de carros usados é favorável e a expectativa é de que continue assim em 2024. Contudo, é essencial saber contornar os desafios desse setor para se manter competitivo e garantir os ganhos de um mercado tão frutífero. 

E, como vimos, a principal maneira de superá-los é através do investimento em tecnologia. Principalmente aquelas soluções que garantem automação de processos e eficiência operacional! Por isso, conte com a Renave Fácil!

Toda a integração com o sistema RENAVE pode ser feito pela plataforma intuitiva. Ainda disponibilizamos dicas, passo a passo e um time de especialistas com mais de 15 anos de atuação no setor.

Então, faça já o seu cadastro!

Acesse e faça o cadastro na plataforma do Renave Fácil!

Mercado automotivo
Mercado automotivo: 5 fatores que irão influenciar o setor em 2024

Sabia que em janeiro deste ano, a venda de veículos atingiu uma crescente de 13%? Esse número só reforça o cenário positivo previsto para o mercado automotivo em 2024!

Há alguns fatores por trás desse desempenho e que, querendo ou não, vão transformar o setor nos próximos meses. Ficou curioso? Então, continue a leitura para ver a lista completa e mais dados como este!

Vamos lá?

Panorama do mercado automotivo em 2024

Há algumas projeções para o mercado automotivo em 2024! Todas elas são bastante positivas e otimistas. Contudo, ainda reforçam a necessidade de atenção quanto a certos pontos, como a sustentabilidade

De todo modo, se espera uma alta de 12% nas vendas de veículos, segundo dados da FENABRAVE, citados pela Forbes. Afinal, já em dezembro de 2023, os emplacamentos de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil chegaram a elevação de 14,6%

Se comparado com o mesmo período do ano anterior, essa porcentagem representa a venda de 248,5 mil veículos!

Em paralelo, no acumulado do ano de 2023, as vendas de veículos novos no país subiram para 9,7%, chegando a 2,3 milhões de automóveis. Por isso, a expectativa é de que os licenciamentos atinjam 2,58 milhões de unidades em 2024.

Já segundo a Anfavea, a partir de agosto de 2023 houve um aumento no ritmo de vendas de autoveículos. Em novembro, o setor atingiu uma média de 10,6 mil unidades/dia!

Para 2024, a Anfavea prevê vendas de 2,450 milhões de autoveículos. Ou seja, uma ascensão de 7% sobre 2023. E ainda, espera-se uma alta de 6,6% para automóveis e comerciais leves.

Em contrapartida, para a exportação, a entidade projeta um total de 407 mil unidades. Portanto, representa uma leve alta de 2%, se comparado com 2023.

Para acrescentar, de acordo com a pesquisa da Webmotors Autoinsights, mencionada pelo Diário do Comércio, 89% dos brasileiros pretendem trocar de carro ou comprar um novo até 2024! 

Esses números destacam as inúmeras oportunidades de negócio apresentadas ao setor, em 2024. Afinal, o aumento das vendas e da demanda de consumidores é a fórmula perfeita para o desenvolvimento do mercado.

O estabelecimento que souber aproveitar esse cenário fertil, sairá na frente da concorrência.

Leia também: Como garantir a alta performance de vendas de veículos?

5 fatores que irão influenciar o setor neste ano

Fatores que irão influenciar o mercado automotivo

Além do contexto apresentado, é possível citar mais 5 fatores que irão influenciar o mercado automotivo em 2024. Veja a lista completa abaixo!

1. Taxa de juros mais baixa

Um dos principais fatores que influenciarão o mercado automotivo em 2024 é a baixa na taxa de juros. Segundo dados apontados pelo portal Terra, a Selic chegou a uma redução de 0,5%, em janeiro de 2024, atingindo a taxa de 11,25%.

Semanalmente, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), divulga um relatório com projeções. Para 2024, a previsão é de 9% da taxa Selic, com uma inflação de 3,5% a 4% ao ano.

Isso impacta diretamente no financiamento e nos custos de empréstimos, tornando-os mais baixos. Afinal, a Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira e, portanto, é utilizada como base durante essas transações.

Além disso, é possível acrescentar, a esta equação lucrativa, o aumento do acesso a crédito. Segundo a Febraban, a expectativa é de alta para a carteira de crédito em 2024. Ou seja, uma elevação de 8,3% para 8,5%.

Inclusive, essa alta é o reflexo direto da melhora dos índices de inadimplência e, consequentemente, na aceleração do crédito neste ano. Portanto, é possível afirmar um cenário otimista para a compra de veículos. 

Contudo, é preciso ter em mente que há um período de defasagem no repasse da queda da Selic. Geralmente, demora de 3 a 6 meses para que a população comece a sentir os impactos dela.

2. Aumento da produção

É natural que, com a perspectiva de aumento das vendas do mercado automotivo, seja previsto um crescimento na produção também. 

Ainda conforme a Anfavea, a estimativa para 2024 é de um elevação de 4,7% no volume de produção. Representando, assim, 2,470 milhões de unidades produzidas.

Isso se dá, principalmente, pela recuperação, mesmo que tímida, da crise dos semicondutores. É possível perceber um melhor desempenho depois de dois anos de grande escassez. Afinal, o faturamento da indústria brasileira de semicondutores deverá crescer 30% em 2024!

Esse dado é da Associação Brasileira da Indústria de Semicondutores (ABISEMI). A expectativa, no mundo, é de uma elevação de 13% no mercado de semicondutores como um todo. O que irá representar um faturamento de US$588 bilhões.

Esses números só ressaltam a retomada do setor e, consequentemente, o aumento da oferta de carros 0km. É possível até imaginar que esse cenário seja capaz de afetar positivamente os preços dos veículos.

Revenda de veículos: saiba quais indicadores acompanhar!

3. Mover

O Mover é o programa nacional de “Mobilidade Verde e Inovação”. Ele amplia as exigências de sustentabilidade da frota automotiva, segundo a Agência Gov. E, ainda, estimula a produção de novas tecnologias nas áreas de mobilidade e logística, expandindo o antigo Rota 2030.

A iniciativa é do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). O programa visa:

  • Ampliar os investimentos em eficiência;
  • Incluir limites mínimos de reciclagem na fabricação de veículos;
  • Cobrar menos impostos de quem reduz a poluição, por meio do IPI Verde;
  • Aumentar os requisitos obrigatórios de sustentabilidade para os veículos comercializados no país;
  • Medir as emissões de carbono de todo o ciclo da fonte de energia usada, todos componentes e em todas as fases de produção até o descarte.

O programa também é definido como “Mobilidade e Logística Sustentável de Baixo Carbono”. Por isso, a meta é reduzir em 50% as emissões de carbono até 2030! 

Com a corrida contra a crise ambiental, a ideia é assegurar que os automóveis saiam das fábricas já mais econômicos, seguros e menos poluentes.

Portanto, o incentivo fiscal para empresas que investem em descarbonização e se enquadram nos requisitos são:

  • Em 2024: R$ 3,5 bilhões;
  • Em 2025: R$ 3,8 bilhões;
  • Em 2026: R$ 3,9 bilhões;
  • Em 2027: R$ 4 bilhões;
  • Em 2028: 4,1 bilhões.

Esses valores poderão ser convertidos em créditos financeiros. Assim, a expectativa é de que, no final, o programa alcance mais de R$19 bilhões em créditos concedidos.

4. Novos players no mercado brasileiro

É estimada, para o mercado automotivo brasileiro, a chegada de novas marcas que irão influenciar diretamente a concorrência e o consumo. Os preços serão mais competitivos, gerando uma excelente relação de custo-benefício.

Sem contar que esses players tendem a promover inovação na indústria ao facilitar o acesso a novas tecnologias e conceitos. Como, por exemplo, é o caso da Omoda e do Jaecoo. 

Essas são marcas chinesas da Chery que confirmaram presença no país, segundo informações do Canaltech. Eles serão apresentados em uma operação conjunta e vão lançar 3 carros no Brasil, em um primeiro momento. Sendo, 1 da Omada e 2 da Jaecoo.

Todos eles terão motorização eletrificada. Isso significa que serão híbridos leves, convencionais, com plug-in ou 100% elétricos.

5. Energia renovável e veículos elétricos 

Energia renovável e veículos elétricos

Como vimos, com base nos fatores anteriores, a sustentabilidade e os veículos elétricos serão grande destaque de 2024, no mercado automotivo.  

Por isso, inclusive, de acordo com a Fenatran, a International Finance Corporation (IFC), entidade ligada ao Banco Mundial, liberou uma linha de US$50 milhões para o financiamento de “veículos verdes” no Brasil. Convertido, isso dá cerca de R$260 milhões

O BV será o parceiro escolhido para a ação, esse que já é um dos líderes na concessão de crédito automotivo do mercado. Hoje, 80% da carteira de R$41 bilhões de crédito automotivo do banco já é direcionada para a aquisição de veículos elétricos, híbridos e flex. 

O intuito é aumentar mais essa parcela e dobrar o volume de concessões de financiamento. Chegando, assim, a uma carteira de R$80 bilhões em crédito para veículos até 2030. Atualmente, 100% de carbono da carteira já é compensado.

Entenda mais sobre as transformações do setor automotivo!

Esses são só alguns dos fatores que irão transformar o mercado automotivo em 2024 e nos próximos anos. Contudo, há mais algumas tendências que têm impactado o setor em todos os âmbitos, como é o caso da digitalização. 

Então, clique no botão abaixo e baixe o nosso e-Book completo para entender mais sobre o assunto!

Saiba como aplicar a digitalização em seu dia a dia!

Venda de veículos e CRM
Venda de veículos: vantagens do CRM para concessionárias

O CRM para concessionárias é uma ferramenta indispensável para o aumento do volume de venda de veículos. Esse software colabora com a eficiência da gestão e, consequentemente, com a alta performance dos vendedores. 

Para conhecer mais sobre essa plataforma, continue a leitura. Reunimos neste texto as principais vantagens dela. 

Vamos lá?

Como o CRM para concessionárias colabora com a venda de veículos?

CRM para concessionárias

O CRM para concessionárias é extremamente importante para o aumento do volume de venda de veículos. Se engana quem pensa que esta plataforma não funciona para este tipo de estabelecimento. 

Antes de mais nada é importante destacar, afinal, o conceito de CRM. A sigla é referente a Customer Relationship Management, que significa Gestão de Relacionamento com o Cliente

Portanto, o software é destinado ao gerenciamento da relação por meio das análises de interações. Assim, o objetivo da ferramenta é:

  • Antecipar necessidades e desejos;
  • Otimizar as estratégias de captação de cliente;
  • Personalizar o contato;
  • E, consequentemente, aumentar as vendas.

Com ela, é possível obter uma gestão 360º e alinhar as ações comerciais, de marketing e de atendimento ao cliente. Dessa forma, todos os contatos são mapeados e administrados em busca de gerar insights através das avaliações constantes sobre o público-alvo. 

Isso ajuda no conhecimento aprofundado quanto aos consumidores e as jornadas de compra. O que, consequentemente, colabora com a construção de argumentação durante as abordagens comerciais. 

Não é por acaso que há uma expectativa de que o mercado de CRM atinja US$128.97 bilhões em 2028, segundo uma pesquisa

Por isso, inclusive, em maio de 2021, mais de 91,0% das empresas, com mais de 11 funcionários, utilizavam soluções de CRM. Isso fez com que o uso desta ferramenta aumentasse de 15,0% em 2010 para 97,0% em 2020!

Com base nessa contextualização, reunimos os principais benefícios gerados pelo CRM para concessionárias. E lembre-se! Esses são ganhos que afetam diretamente a venda de veículos. Então, veja a seguir a lista completa!

Leia também: 7 boas práticas para a gestão de concessionárias

1. Centraliza informações de clientes

O principal benefício do CRM para concessionárias, importante para a venda de veículos, é centralizar as informações de clientes

Por ser um software de gestão de relacionamento, é possível adicionar e analisar todos os dados e pontos de contato com o comprador. 

Isto é, desde o cadastro de clientes e potenciais consumidores até o estágio de compra e maturidade de interação com a concessionária. É possível ter acesso a:

  • Telefone;
  • Nome;
  • Relatório de quantos e-mails ele abriu e respondeu. 

Por isso que, inclusive, conforme um levantamento, 74% dos vendedores dizem que os sistemas de CRM melhoraram o acesso aos dados dos clientes.

Essas informações, por exemplo, ajudam a entender melhor:

  • A sensibilidade do público quanto ao preço de cada veículo;
  • Possíveis preferências quanto a marcas;
  • Inclinações para carros 0km ou seminovos/usados.

Por consequência, será possível desenvolver estratégias comerciais e abordagens mais assertivas. Desse modo, colabora com a produtividade dos vendedores, aumentando o volume de vendas.

Além disso, a ferramenta ajuda a padronizar e estruturar processos, assim como simplificar e otimizar as ações comerciais diárias. E isso também elimina desperdícios de tempo e perdas de oportunidades.

2. Aprimora as relações e gera fidelização

Ainda conforme a pesquisa citada acima, 64% dos vendedores acreditam que o CRM melhorou a gestão de relacionamento. Sendo apontadas, também, vantagens quanto ao rastreamento de interação com o cliente.

E isso, por consequência, afeta diretamente a experiência do comprador. Segundo a Zendesk, 50% dos clientes afirmam mudar para um concorrente após uma única experiência ruim. E quando isso se repete, o número salta para 80%.

Ou seja, com a centralização das informações dos clientes, é possível construir um relacionamento focado na personalização. Assim, estabelecer contatos com abordagens coerentes às necessidades e dores do possível cliente. 

Isto é, o CRM colabora com o desenvolvimento de vendas mais consultivas. Assim, garantindo que as condições do comprador sejam atendidas da melhor maneira possível. 

Com essas informações, o vendedor será capaz de indicar a solução mais condizente com a realidade do cliente, facilitando o fechamento da compra. 

Por isso, o intuito é qualificar e nutrir o lead de maneira a garantir a tomada de decisão. Mas, mais do que isso, é importante tentar a conexão com clientes inativos também. 

Em resumo, deve-se construir um relacionamento com base no compartilhamento de conteúdos relevantes. Eles vão encantar, ressaltar e incentivar a demanda por compra dos veículos ou até mesmo de outros serviços da concessionária.

E toda essa relação auxilia no momento da venda e na retenção do comprador. Mantê-lo fiel e satisfeito, relembrando-o constantemente do estabelecimento, fortifica esta relação. O que, diminui os Custos de Aquisição do Cliente (CAC).

Segundo uma pesquisa, um aumento de 5% na retenção de clientes pode levar a elevação do faturamento de 25-95%.

3. Otimiza e personaliza estratégias

A decisão de adquirir um carro leva tempo. Isso faz com que o ciclo de vendas se torne mais complexo e longo. Afinal, antes de realizar a compra, o cliente atual faz pesquisas onlines. 

E, durante essas buscas, ele pode acabar demonstrando interessantes em certos pontos de contato, como em algum VDP, por exemplo. Nesse contexto, o CRM para concessionárias é importante para o aumento da venda de veículos.

Até porque, segundo o G1, 61% dos brasileiros compram mais pela internet do que em lojas físicas! Sendo que 78% deles realizam esse processo uma ou mais vezes por mês. Isso porque 72% dizem que essa escolha está relacionada à praticidade de comprar sem sair de casa.

Nesse momento é possível captar um cliente (lead) e ajudá-lo a tomar decisões durante a jornada de compra. Ou seja, a ideia é construir a confiança do mesmo, no decorrer do ciclo de compra, o conduzindo até o fechamento.

Para isso, o CRM ajuda a acompanhar o cliente em todo o processo, por meio do funil de vendas. Assim, será possível organizar as ações e desenvolver estratégias coerentes com a fase de compra do consumidor. Tudo, é claro, de maneira personalizada.

4. Contribui para o fortalecimento do posicionamento da concessionária

Por fim, o CRM para concessionária colabora com a construção de um posicionamento forte. Isto é, ajuda no desenvolvimento de uma imagem confiante graças a demonstração de autoridade no assunto

Manter o relacionamento com o cliente, mesmo após a compra ou com aqueles inativos, é fundamental para o aumento da venda de veículos. Isso faz com que o público mantenha o estabelecimento na memória. 

Para, assim, quando decidir realizar a compra, escolher seu negócio em meio a concorrência.

Além disso, clientes felizes e satisfeitos, fazem boas avaliações e indicam serviços e produtos à família e aos amigos! O que, é claro, facilita a captação de novas oportunidades. 

Afinal, conforme um levantamento, 92% dos consumidores ao redor do mundo afirmam confiar totalmente na indicação de um amigo ou família.

Continue se aprofundando no assunto!

O CRM para concessionárias é só um exemplo de plataforma que colabora com o aumento da venda de veículos. Existem diversas ferramentas digitais que contribuem para a otimização das atividades diárias do estabelecimento, garantindo o alcance de novas oportunidades.

Por isso, se aprofunde mais no assunto. Clique no botão abaixo e entenda mais sobre a digitalização no setor automotivo e como aplicá-la.

Digitalização do setor automotivo: saiba como aplicar no dia a dia!

O que fazer quando o veículo não passou pelo RENAVE?
O que fazer quando o veículo não passou pelo RENAVE?

Você sabe o que significa quando o veículo comercializado não passou pelo RENAVE? Infelizmente, essa irregularidade gera grandes adversidades ao estabelecimento devido ao retrabalho e aos efeitos causados na reputação do mesmo.

Então, para responder essa pergunta, continue a leitura! Reunimos neste texto, as principais informações sobre o sistema. Veja a seguir! 

Relembre o que é RENAVE!

O RENAVE é a sigla para o Registro Nacional de Veículos em Estoque. Esse é um sistema responsável por digitalizar e oficializar a transferência e comercialização de automóveis. 

Portanto, a ferramenta foi desenvolvida com o intuito de garantir maior praticidade e segurança a essas operações.

A tecnologia foi idealizada pela Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto). 

A coordenação da mesma é realizada pelo Ministério da Infraestrutura/Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) e do Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO). 

A integração desses e demais órgãos – como a Receita Federal do Brasil e as secretarias de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal -, por meio do RENAVE, gera uma base de dados nacional completa

O que facilita a comunicação, o registro, acompanhamento e o controle da comercialização do veículo, otimizando todas as  transações e etapas.

Isto é, com a escrituração eletrônica dos livros de registro de movimentação e de entradas e saídas dos veículos, todo o processo se torna econômico e agilizado. Em conformidade com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a venda, compra e transferência de propriedade se tornam desburocratizadas.

Em conclusão, o RENAVE moderniza o sistema de comercialização e gestão de veículos no país. Tudo graças a padronização de regras quanto ao correto procedimento de transferência. 

Sem contar, que garante um controle mais eficaz da Cadeia Dominial, promovendo a proteção do direito à propriedade. 

Para os carros 0 KM, o registro pelo RENAVE é obrigatório, em todo o território nacional. Já para os seminovos e usados, a adequação ainda é facultativa. Para isso, o DETRAN do estado precisa ter aderido ao sistema. Por enquanto, os que estão integrados são:

  • SC;
  • SP;
  • PR;
  • MT;
  • MS;
  • ES;
  • GO;
  • PE;
  • SE.

Para saber mais, clique no botão abaixo e faça o download do infográfico completo sobre o RENAVE.

Tudo sobre o Renave. Acesse e confira o infográfico!O que acontece quando o veículo não passa pelo RENAVE?

O que acontece quando o veículo não passa pelo RENAVE?

Quando não há a integração do estabelecimento com o RENAVE, os veículos comercializados pelo mesmo não são registrados pelo sistema. Dessa forma, não são acompanhados pelos principais órgãos responsáveis. 

Ou seja, a compra e a venda não são oficializadas. Logo, é possível dizer que o veículo não passou pelo RENAVE. E isso pode implicar alguns problemas. 

Como, por exemplo, no caso do veículo Zero KM, o primeiro emplacamento é impedido de ser realizado. Isso porque o DETRAN não terá informações das transações, não podendo confirmar a identidade do verdadeiro proprietário.

Nesses casos, é necessário que o estabelecimento se adeque ao sistema e realize todo o processo de registro pelo RENAVE, atrasando a efetivação da compra. 

Entretanto, o problema é que o cliente já se encontrará insatisfeito, podendo realizar avaliações negativas sobre o negócio. O que afeta mercadologicamente a imagem do mesmo. 

Referente aos seminovos ou usados, apesar da não obrigatoriedade, o veículo que não passou pelo RENAVE corre maiores riscos de ser irregular. Lembre-se! O sistema foi desenvolvido com o intuito de promover maior segurança às operações.

Sendo assim, com a confirmação da transferência de propriedade, o cidadão que adquiriu o veículo não precisará se preocupar com multas e dívidas em atraso, gerando prejuízos futuros. Isso porque o sistema informa e checa possíveis débitos e restrições.

Inclusive, segundo o DETRAN PR, nas transações em que o comprador deixa como parte do pagamento outro veículo, o mesmo será entregue ao estabelecimento com a ATPV-e preenchida e assinada. Assim, toda a comercialização se torna oficializada e legalizada.

E para ambos, o RENAVE reduz, e ajuda a combater, golpes e fraudes. Portanto, as montadoras, concessionárias e consumidores estarão mais assegurados durante todo o processo.

Leia também: Saiba como garantir a experiência do cliente em concessionárias

Como se adequar ao sistema? 

Diante do apresentado, o veículo que não passou pelo RENAVE irá gerar grandes prejuízos aos envolvidos, principalmente para os estabelecimentos e clientes. 

Por isso, para evitá-los é fundamental a adequação ao sistema. Caso contrário, como vimos, haverá retrabalho, insatisfação do cliente e danos à imagem mercadológica do negócio. 

Cabe destacar que a integração com o RENAVE é simples. Afinal, esse é o objetivo do sistema. 

Dessa forma, para a adesão, é necessário o cadastro do estabelecimento no Sistema Credencia, do SERPRO. Ele é responsável pelo processamento e liberação do credenciamento automático. 

Mas, para isso, é preciso ter o certificado digital. Após essa etapa, a concessionária ou a loja já terá o sistema integrado.

Contudo, é possível contar com uma empresa especializada, capaz de facilitar ainda mais o processo. Isso porque, você poderá contar com suporte técnico e atendimento personalizado. 

O contato acessível com profissionais competentes e experientes ajuda na resolução rápida de dúvidas, problemas ou questionamentos sobre o sistema. 

Nesse sentido, aqui podemos citar como exemplo a Renave Fácil. Essa é uma plataforma consolidada de integração com o RENAVE, desenvolvida com o intuito de estabelecer a comunicação entre os estabelecimentos com o sistema.

A Renave Fácil é o resultado do próprio projeto piloto do RENAVE. Por isso, a ferramenta agiliza a transferência e a comercialização de veículos com autoridade e credibilidade

Seja pelo site ou aplicativo, a Renave Fácil permite a inserção, transferência e a venda de veículos novos e seminovos com maior segurança, praticidade, conforto, sem burocracia e economia

Tanto a integração quanto o credenciamento no SERPRO podem ser feitos pela plataforma, que é intuitiva e contém dicas e passo a passo. Tudo isso com o apoio de um time de especialistas com mais de 15 anos de atuação no setor.

Regularize agora mesmo o seu estabelecimento!

Como vimos ao longo do texto, o RENAVE garante segurança e otimização das transições de comercialização e transferência de veículos. Não utilizá-lo nesses processos é o mesmo que gerar transtornos aos seus clientes e, consequentemente, à saúde financeira do seu negócio.

Portanto, para evitar esse tipo de problema, regularize o seu estabelecimento com o apoio da Renave Fácil! Então, realize o seu cadastro agora mesmo!

Acesse e faça o cadastro na plataforma do Renave Fácil!

Transferência de veículos
Saiba como realizar a transferência de veículos

A transferência de veículos é o processo responsável por comprovar a comercialização e garantir maior segurança. Isto é, ele reduz fraudes, além de danos legais e financeiros ao comprador e estabelecimento. 

Então, para te ajudar nessa etapa, reunimos a seguir dicas de como realizar essa transferência e como otimizá-la. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Relembre o que é uma transferência de veículos

A transferência de veículos pode acontecer por diferentes motivos, principalmente em casos de compra e venda. Essa é uma etapa indispensável para formalizar o processo de comercialização e evitar prejuízos futuros para o novo dono. 

Ou seja, estamos abordando a transferência de propriedade de veículos. Aqui ocorre a mudança de posse do automóvel de uma pessoa/loja para a outra. 

Além dessa, é possível citar mais alguns tipos de transferência que costumam gerar certas dúvidas. Como:

  • Transferência por Localidade: acontece quando há a necessidade de alteração de cidade no registro do veículo, devido a mudança do proprietário.
  • Transferência de veículo com Gravame: ocorre em veículos com financiamento não quitado. Nesse caso, aparece a existência de parcelas em aberto. Para essa transferência, é necessário a baixa do gravame, além de outros passos apresentados pelo DETRAN;
  • Transferência de veículos adquiridos em leilão público: pode ocorrer por diferentes motivos, como: busca e apreensão, devolução amigável, sinistro e outras situações. Para isso, é preciso seguir as indicações do DETRAN.

Em resumo, a transferência de veículos é, conforme o DETRAN-RJ, um processo de atualização de dados cadastrais na base de dados no órgão estadual e na Base Índice Nacional (BIN) do Registro Nacional de Veículos Automotores (RENAVAM). 

Nesse processo, é realizada a emissão de nova documentação, em decorrência da alteração da propriedade do veículo.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a mudança de propriedade precisa acontecer em 30 dias, expedindo um novo Certificado de Registro de Veículo (CRV). Nos demais casos (eliminando a por localidade), precisam ser realizadas imediatamente.

Caso o prazo não seja cumprido, o proprietário comete uma infração grave, acumulando 5 pontos na CNH.

Leia também: CRV e CRLV: qual a diferença?

Como realizar esse processo?

Como realizar o processo de transferência veicular

Para citar aqui os passos para a correta realização da transferência de veículos, será utilizado informações do DETRAN-SC como base. Vale ressaltar que o foco é quanto ao processo feito por pessoa jurídica

Em um primeiro momento, há alguns documentos e informações extremamente indispensáveis para a efetivação do processo. São eles:

  • Documento constitutivo da empresa que confirma a possibilidade de venda do veículo;
  • Nota Fiscal do veículo (quando estiver no nome da empresa que comercializa);
  • Cópia da sentença de reintegração de posse (se for o caso);
  • CRV;
  • ATPV;
  • Documento de identificação;
  • Quitação das taxas correspondentes.

Contudo, no caso da pessoa jurídica, é necessário mais alguns documentos para comprovar a competência dos signatários. Veja a seguir quais são!

Sociedade Limitada

Para esse modelo, será necessário a apresentação do Contrato Social atualizado (consolidado ou original e alterações) e Certidão Simplificada da Junta Comercial com comprovação do sócio que assina a procuração, com data de emissão igual ou inferior a 30 dias.

Sociedade Anônima 

Já quanto a este modelo, é preciso ter em mãos o Estatuto Social e Ata da Assembleia da eleição dos representantes. 

Assim como, a Certidão simplificada da Junta Comercial com comprovação do sócio que assina a procuração com data de emissão igual ou inferior a 30 dias.

Sociedades registradas em cartórios de registro de pessoa jurídica

Aqui é preciso uma versão atualizada do Contrato Social (consolidado ou original e alterações).

Empresário

Nesse caso, é indispensável o Registro de Empresário na Junta Comercial e Certidão Simplificada da Junta Comercial, com data de emissão igual ou inferior a 90 dias. 

Ressalta-se que não será preciso apresentar o documento constitutivo da empresa nos casos em que o tabelião reconhece a assinatura em nome da pessoa jurídica, informando o nome da empresa que representa.

Demais pessoas jurídicas (revendedoras ou não)

Para os demais, deve-se realizar a apresentação de todos os documentos básicos e CRV preenchido, acrescido de fotocópia autenticada do contrato social ou estatuto.

Leia também: Revendas de veículos: quais indicadores acompanhar

Saiba o passo a passo da transferência de veículos

Ainda conforme o DETRAN-SC, o passo a passo para a transferência veicular jurídica é:

  1. Realização da vistoria do veículo em empresa ECV credenciada pelo Detran (necessário apresentar o laudo da vistoria aprovado durante o processo);
  2. Solicitação do serviço de abertura do processo a documentação exigida na CIRETRAN/CITRAN ou despachante credenciado do município de registro do veículo;
  3. Recolhimento da taxa correspondente;
  4. Espera do prazo da conclusão do processo estabelecido pela unidade;
  5. Emissão do documento (CRLV-e) no Portal DETRAN Digital.

Por fim, a taxa de transferência de veículo é de R$183.12, segundo o DETRAN-SC. Já para a transferência eletrônica (CRV-e) (RENAVE), para veículos em estoque, entre concessionárias, revendedoras e afins, é de R$40.57.

Conte com a Renave Fácil e simplifique a transferência de veículos!

É necessário salientar que a transferência de veículos pode, e deve, ser realizada pelo RENAVE (Registro Nacional de Veículos em Estoque). Esse é um sistema responsável por simplificar e facilitar o processo. 

A integração é obrigatória para veículos Zero KM em todo o país. Já para veículos seminovos, o uso do RENAVE é facultativo e depende da adesão estadual do DETRAN ao sistema. 

De qualquer forma, essa é uma ferramenta que gera inúmeros benefícios ao estabelecimento e ao comprador. Com o registro rápido e de custo reduzido, a transferência de propriedade se torna mais otimizada e eficiente. Além disso, toda comercialização e a gestão de estoque de veículos passam a ser mais modernas e assertivas.

E como vimos acima, a taxa de transferência eletrônica pelo RENAVE é mais barata. Além disso, o sistema gera benefícios como:

  • Maior digitalização do processo;
  • Mais segurança e confiabilidade para o estabelecimento e consumidor final;
  • Formalização da compra e venda com redução de burocracia e morosidade;
  • Elimina a necessidade de procurações e reconhecimento de firma;
  • Agiliza a comercialização de veículos;
  • Otimiza o tempo de entrega do veículo;
  • Colabora com a experiência do comprador.

Para aderir a esse sistema é possível contar com o apoio da Renave Fácil, uma plataforma especializada de integração com o sistema. 

Somos a interface de comunicação dos estabelecimentos com o Renave-WS (Serpro), que por sua vez fará a comunicação entre SENATRAN e DETRAN. Contribuímos ainda mais para a rapidez e eficiência do processo de transferência de veículos. Tudo isso com o apoio de profissionais experientes!

Então, se ficou curioso e deseja conhecer mais sobre o RENAVE, clique no botão abaixo e realize o download do nosso infográfico completo.

Tudo sobre o Renave. Acesse e confira o infográfico!

Consulta veicular Renave Fácil
Consulta veicular com a Renave Fácil: saiba como funciona

A consulta veicular é uma prática que afeta o sucesso das revendas. Com ela é possível analisar as principais informações de um veículo para entender a veracidade e legalidade de seus dados. Assim, será possível eliminar custos desnecessários e prejuízos futuros. 

E a Renave Fácil pode te ajudar nesse processo! Com nosso olhar especializado, garantimos análises mais certeiras sobre os principais pontos abordados na consulta. 

Deseja conhecer mais dessa prática na Renave Fácil? Então, continue a leitura para conferir os detalhes sobre esse procedimento. 

Boa leitura!

O que é consulta veicular?

A consulta veicular é fundamental para a comercialização de automóveis. Esse processo ocorre antes do fechamento da compra, colaborando com a tomada de decisão.

O procedimento refere-se a análise do histórico completo do veículo em etapas de compra e venda. Ele é usado para garantir a segurança das negociações de veículos usados e seminovos. O que permite que o comprador saiba se o veículo conta com algum problema que pode dificultar ou até mesmo inviabilizar a compra.

Com essa consulta é possível ter acessar dados importantes, como:

  • Alterações das características do veículo;
  • Indícios de sinistro;
  • Registro de roubo;
  • Recall;
  • Histórico de quilometragem;
  • Possíveis restrições, como as judiciais pelo Renajud, e outras.

Dessa forma, contribui para o entendimento do comprador quanto ao estado real do veículo. Essa é a maneira mais segura e justa de realizar a aquisição de um automóvel para revenda em seu estabelecimento.

Isto é, imagine o seguinte cenário. Você efetua a compra de um veículo e somente depois descobre uma série de pendências. Isso irá gerar gastos inesperados.

Nesse caso, a regularização dos problemas pode comprometer totalmente a possibilidade de lucro. Isto quando a solução do imbróglio não leva semanas e, muitas vezes, até meses. 

Ou seja, a consulta veicular contribui para que a sua gestão não seja pega de surpresa. Assim, colabora para a saúde financeira do seu estabelecimento. 

Então, não corra riscos desnecessários! Tenha certeza da situação do veículo e garanta o sucesso da transação.

Destaca-se que, independentemente do porte da revenda, o objetivo do negócio sempre será o lucro e um bom atendimento ao cliente. Contudo, para atingi-lo, a compra deve ser bem feita.

E a Renave Fácil pode te ajudar nesse processo!

A Renave Fácil pode te ajudar!

A consulta veicular é um processo que pode ser realizado de maneira terceirizada. Até porque contar com o apoio de especialistas garante ainda mais segurança durante toda prática. 

Nesse cenário, os dados são analisados com maior prudência. Além disso, realiza-se um estudo comercial quanto aos aspectos e impactos dos resultados. Essa é a vantagem de contar com um olhar de quem atua no setor há anos.

Sem contar que otimiza a rotina do seu estabelecimento. Contribuindo, então, com a melhor gestão de tempo. Assim, é possível despender a atenção em atividades que exigem maior cuidado e produtividade.

E é por isso que a Renave Fácil disponibiliza a consulta veicular! O nosso objetivo é facilitar ainda mais os processos diários de nossos clientes. Logo, colaboramos, verdadeiramente, com o desenvolvimento dos negócios e do mercado como um todo.

Com a expertise da nossa equipe, por exemplo, é possível até mesmo evitar fraudes do antigo dono. O que contribui ainda mais para a avaliação estratégica da decisão.

O apoio de um estudo cauteloso, disponibilizado pela Renave Fácil, auxilia na assertividade. A pesquisa, a avaliação completa e uma boa consultoria contribuem com a resposta quanto à aquisição do veículo em questão.

Com a Renave Fácil, o processo de consulta veicular se torna mais rentável e prático. Contribuímos para o sucesso dos seus resultados ao garantirmos a obtenção de veículos seguros e legais. 

Assegurando, assim, a entrega da melhor experiência de compra ao seus clientes. E a satisfação do comprador afeta diretamente o crescimento do seu negócio no setor. 

Afinal, esse sentimento gera indicação e boas avaliações dos seus serviços. Garantindo, portanto, um bom posicionamento e destaque mercadológico.

Como esse processo funciona na prática?

Consulta veicular na prática

A Renave Fácil é parceira da Rede Cred Auto! Com isso, conseguimos oferecer o serviço de consulta veicular dentro da nossa plataforma. Para isso, disponibilizamos duas modalidades: a Cred TOTAL e a Cred ESPECIAL.

A Cred TOTAL refere-se a Base Estadual e base Nacional. Ela analisa informações como:

  • Ocorrência de furto;
  • Histórico de roubo e furto;
  • Comunicação de venda;
  • Gravame;
  • Proprietário atual do veículo;
  • Tabela FIPE + decodificador;
  • Sinistro PT;
  • Indício de sinistro;
  • Farol de parecer técnico;
  • 3 bases de leilão.

Já a Cred ESPECIAL conta com todos os itens citados na anterior e ainda:

  • Kart do veículo (alteração de cor, motor, chassi e combustível);
  • Renajud detalhado;
  • Informações sobre Recall;
  • Detran (BA, CE, DF, ES, GO, MG, MS, PA, PE, PR, RS, RJ, SC e SP);
  • Informações sobre venda direta;
  • Alerta de óbito do proprietário do veículo.

É preciso reforçar que todo esse processo ocorre dentro do nosso aplicativo e pode ser solicitado sempre que necessário. Assim, contribuímos com a geração de um laudo ágil e completo para garantir a segurança do seu estabelecimento. 

Para requisitar a consulta, basta clicar no botão “aptidão” do menu e, em seguida, selecionar a opção referente ao processo. 

Consulta veicular na plataforma

Depois disso, é preciso apenas informar a placa do veículo a ser analisado e escolher o tipo de modalidade que deseja.

No fim da busca, o resultado aparecerá automaticamente. Ainda disponibilizamos na nossa plataforma, os dados das consultas anteriores para a constante avaliação e comparação. Assim, conseguimos colaborar ainda mais para a eficiência da sua gestão.

Para realizar todo esse processo é preciso ter créditos dentro do aplicativo. Ou seja, deve-se realizar a aquisição de um pacote específico e coerente com as necessidades do seu estabelecimento. 

Contudo, para ter acesso a essa funcionalidade e os demais benefícios Renave Fácil, não será preciso pagar mensalidade!

Conte com a Renave Fácil e aposte na praticidade e assertividade diária

Como vimos no conteúdo, a consulta veicular é fundamental para proteger o seu estabelecimento

E, para tomar a decisão de maneira segura, conte com o apoio de especialistas, como os da Renave Fácil! Colaboramos com o estudo crítico dos principais pontos a serem considerados durante esse processo de compra.

Além disso, ainda auxiliamos em todo o processo de transferência veicular! Somos uma plataforma completa que atua em todas as etapas importantes para o sucesso do seu negócio. Tudo com muita economia e expertise. 

Então, entre em contato com um de nossos consultores e entenda como podemos contribuir para o crescimento do seu negócio!

Acesse e faça o cadastro na plataforma do Renave Fácil!
Renave o que é
Renave: o que é e como funciona o sistema?

Compreender o Renave, e o que é o sistema, facilita a transferência veicular do seu negócio. A nova ferramenta de registro nacional permite maior segurança, agilidade e desburocratização das ações.

Pensando nisso, reunimos as principais dúvidas sobre o Renave para solucioná-las de vez, confira! 

Renave: o que é?

Entender o Renave, e o que é essa ferramenta, torna o processo comercial mais rápido e produtivo. O que, consequentemente, contribui para a simplificação da transferência veicular!

Para começar, o Renave é o Registro Nacional de Veículos em Estoque. A coordenação é do Ministério da Infraestrutura/Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) e do Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO).

Contudo, ele foi idealizado pela Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto). 

E a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) apoiaram.

Aqui, a integração é composta pelos dados de diferentes órgãos, para além dos já citados. Como, por exemplo, os da Receita Federal do Brasil e das secretarias de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal.

O intuito é gerar uma base nacional que viabilize a comunicação, registro, controle e acompanhamento das transações comerciais dos veículos. Assim, pode-se informar a comercialização do veículo e checar possíveis débitos e restrições, em todos os sistemas.

O importante é digitalizar o processo para reduzir os custos, incentivando a otimização e agilidade da compra e venda. E, com isso, viabilizar a escrituração eletrônica dos livros de registro de movimentação, de entradas e saídas, dos veículos. 

Tudo em conformidade com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no artigo 330. Esse é o único meio reconhecido legalmente como substituto digital dos livros de registro.

O Renave, portanto, desburocratiza o processo de transferência de propriedade de veículos. Isso porque conecta e informa a ação aos órgãos competentes, de maneira rápida e econômica.

Aqui vale citar as bases legais desse sistema, além do artigo 330 do CTB:

  • Resolução CONTRAN nº 797 de 2 de Setembro de 2020;
  • Resolução do CONTRAN nº 818 de Março de 2021.

Por que o Renave foi criado?

O Renave foi idealizado em 2015, para registrar a entrada e saída de estoque dos veículos dos estabelecimentos. No entanto, ele passou a ser testado só em 2019, no estado de Santa Catarina.

Por isso, a Renave Fácil esteve presente no projeto piloto para desenvolver uma plataforma de integração. Essa viria a ser a interface de comunicação entre os órgãos competentes.

De todo modo, o Renave foi pensado para modernizar o sistema de compra, venda e gestão de veículos no país. Segundo o SERPRO, o Renave é uma história de sucesso por conectar cidadãos e empresas ao governo.

Esta inovação traz como diferencial a digitalização do processo, de forma que a transferência da propriedade do veículo seja efetuada de maneira rápida e com custo reduzido”.

Leia também: Como se preparar para a crescente digitalização do setor automotivo?

E, ainda segundo o portal do Governo já mencionado, Luis Felipe Monteiro destaca o impacto da transformação digital

A mudança facilita a vida do cidadão e, no setor, o sistema torna esse processo de transferência mais seguro. “Hoje, dos 4 mil serviços oferecidos para o cidadão no gov.br, 65% já são totalmente digitais”.

Além disso, a ferramenta permite um controle mais eficaz e certeiro da Cadeia Dominial dos veículos. Tudo isso graças ao apoio das informações do Renavam. Logo, o sistema também oferece a proteção do direito à propriedade assegurado contra terceiros.

Por fim, o Renave ainda tem a finalidade de estabelecer regras e padronizações para o correto procedimento da transferência veicular.

Vale destacar que permanece a obrigatoriedade de transferir a propriedade do veículo para o estabelecimento. 

Além disso, ainda continua sendo necessário realizar a auditoria do processo junto ao Detran ou despachante credenciado na entrada. Somente assim é possível garantir autenticidade e evitar fraudes. 

Como funciona o Renave?

Como funciona o Renave

Além de entender o Renave e o que é, deve-se compreender como o sistema funciona. 

Ele é destinado às empresas atuantes no segmento de vendas, compras ou comercialização de veículos, como lojas e concessionárias. Os automóveis podem ser tanto seminovos, quanto zero KM. 

Contudo, a adequação é obrigatória para o comércio de zero KM, em todo o território nacional. 

Já no caso dos usados, o Detran do estado precisa ter aderido o Renave. No momento, os que já possuem integração são:

  • Santa Catarina;
  • São Paulo;
  • Paraná;
  • Mato Grosso;
  • Mato Grosso do Sul;
  • Espírito Santo;
  • Goiás;
  • Pernambuco;
  • Sergipe.

Uma vez realizada a adesão, o estabelecimento precisa efetuar o cadastro no Sistema Credencia, do SERPRO. Ele é responsável pelo processamento e liberação do credenciamento de maneira automática. Porém, para acessá-lo, o certificado digital é necessário.

Após o cadastro, a concessionária ou loja já tem o sistema integrado às bases dos órgãos competentes. Como, por exemplo, o Detran e a Receita Federal. 

Durante o processo de venda, o até então proprietário, deve realizar a assinatura do CRV. Em seguida, o estabelecimento gera a Nota Fiscal eletrônica (NF-e). A empresa continua precisando realizar a transferência do veículo para o CNPJ.

Por fim, o concessionário deve realizar o registro online no Renave para comunicar os órgãos a transferência. 

Os passos permanecem! A diferença está na virtualização do registro, podendo realizar as transações diretamente nas bases de dados dos órgãos.

Além dos documentos necessários já citados, é necessário ter também:

  • O certificado digital tipo A1 (um para cada CNPJ);
  • TCMS (Termo de Compromisso de Manutenção de Sigilo) preenchido e com assinatura reconhecida em cartório ou assinado digitalmente;
  • Uma cópia da CNH do responsável legal.

Mas afinal, quais são os benefícios do Renave?

Agora que compreende sobre o Renave, o que é e como funciona, é preciso entender quais são os benefícios. O grande diferencial do sistema é a digitalização do processo, que reduz custos e agiliza a comercialização.

Segundo o SERPRO, a inovação garante maior segurança e confiabilidade para o estabelecimento e consumidor final. E, ainda, colabora com a transferência veicular de maneira eficaz junto aos órgãos, devido a integração.

Da mesma forma, o sistema garante a formalização da compra e venda de veículos, reduzindo a burocracia. A integração automática com a Receita Federal e o Detran torna desnecessário procurações e reconhecimento de firma, assegurando maior economia. 

Uma vez integrado o sistema e com o Registro realizado, o automóvel já aparece com o status “em estoque”. Tudo isso sem a espera por cada documento e pelo reconhecimento da transferência por cada órgão. Logo, o veículo já está pronto para a comercialização pelo estabelecimento. 

Para o diretor-geral do Denatran, Frederico Carneiro, no portal do Governo, o Renave simplifica, barateia e desburocratiza a transferência veicular. “(…) quem comprar um veículo, poderá sair com ele transferido para seu nome em qualquer dia da semana, inclusive fins de semana. Isso vai reduzir custos e ajudar os lojistas”.

A praticidade e agilidade garantem a saúde financeira do estabelecimento e eficiência das abordagens

Contudo, para além disso, essas características colaboram para a experiência do cliente e, consequentemente, para o destaque mercadológico do negócio. 

Sem contar a influência do Renave na otimização do tempo de entrega do veículo. O que assegura ainda mais a qualidade da experiência. Até porque esse é um dos fatores que costuma ter grande impacto nas tomadas de decisão do comprador.

Renave Zero KM: o que é?

O Renave Zero KM obriga a adequação ao registro para carros zero KM, como vimos anteriormente. Essa versão do Renave também visa gerar maior segurança e aumentar a agilidade do processo.

A obrigatoriedade passou a valer em janeiro de 2022! Aqui, sem o devido registro dos estabelecimentos que comercializam veículos novos, o consumidor final não pode emplacar o veículo.

Ele foi desenvolvido com o intuito de reduzir e combater os golpes e fraudes. Dessa forma, é possível assegurar maior segurança às montadoras, concessionárias e até aos consumidores, durante o primeiro emplacamento do automóvel.

O processo permanece o mesmo. O que muda é que o cliente recebe o ATPV-e (Autorização para Transferência de Veículo Eletrônica), junto com a NF-e. Esse documento é emitido pela concessionária, após a compra do zero KM.

Em resumo, todos os veículos com BIN depois do dia 24 de janeiro de 2022 devem estar registrados no Renave. E, ao longo do ano em questão, o Renave Zero KM promoveu ainda mais atualizações. 

Agora existem mais duas novas fases:

  • Fase 2 – Renave Zero KM para veículos inacabados: os chassis já pré-cadastrados pelas montadoras ficam bloqueados. Logo, não poderão ser emplacados pelos Detrans estaduais até a emissão do ATPV-e para o consumidor final. Seja ele emitido pela concessionária ou os ITEs;
  • Fase 3 – Renave Zero KM para veículos de venda direta: tem como objetivo promover maior fiscalização dos benefícios tributários. Além disso, visa evitar fraudes quanto ao primeiro emplacamento de veículos de vendas diretas.

Para conhecer mais sobre as fases do Renave Zero KM, baixe agora o nosso guia completo.

Renave Zero Km: conheça todas as fases e como aderir. Acesse e baixe!

De qualquer forma, seja para os seminovos ou zero KM, o sistema Renave garante maior segurança, rapidez e eficácia!

Regularize agora mesmo a sua concessionária com a Renave Fácil!

Com base no conhecimento adquirido sobre o Renave e o que é, chega a hora de decidir o próximo passo. Isso porque, tanto a integração, quanto o processo de credenciamento no SERPRO, podem ser terceirizados! 

Na Renave Fácil, disponibilizamos um time de especialistas para realizar os dois. Para o último, precisamos apenas do aval do estabelecimento, da aquisição de um pacote de créditos e das documentações necessárias.

Lembre-se que o Renave digitaliza a transferência veicular, garantindo maior segurança, agilidade e competência nesse processo. Com ele, o novo proprietário possui todos os direitos assegurados e com mais economia.

Entender o Renave e o que é esse novo registro pode ser o diferencial competitivo que você estava procurando! E para isso, conte com a Renave Fácil e regularize essa etapa no seu estabelecimento.Se você não sabe por onde começar, entre em contato com um de nossos consultores. Te ajudamos com a resolução de dúvidas e com a integração com o Renave. Tudo de maneira simplificada, segura, ágil e eficiente!

Acesse e faça o cadastro na plataforma do Renave Fácil!
O que é VDP e como usá-lo?

O VDP é uma ferramenta poderosa para aumentar as suas vendas. Ela refere-se à página de detalhamento do veículo. Começar a usar esse artifício corretamente irá promover maior desempenho ao seu time comercial e destaque mercadológico. 

Ficou curioso e deseja saber mais? Então continue a leitura para entender melhor sobre essa ferramenta e os efeitos dela no seu negócio. No fim, você ainda terá acesso a dicas de como criar e usar esse recurso. 

Boa leitura!

Mas afinal, o que é VDP?

O VDP é a sigla para as palavras em inglês “Vehicle Detail Page”. Na tradução literal, em português, significa “página de detalhamento do veículo”. Ou seja, o termo refere-se à página mais importante do site do estabelecimento. Logo, entender como usá-lo é fundamental para o aumento das vendas. 

Cabe ressaltar que, segundo dados apresentados pelo G1, 61% dos brasileiros compram mais pela internet do que em lojas físicas! Sendo que 78% deles afirmam realizar esse processo uma ou mais vezes por mês.

Muito dessa mudança de hábito está diretamente relacionada às transformações digitais causadas pela pandemia. Mas, além disso, essa é uma prática que deve continuar crescendo por conta da comodidade. Afinal, 72% contam que fazem essa escolha pela praticidade de comprar sem sair de casa.

Então, se esse é o comportamento de compra atual dos consumidores brasileiros, podemos dizer ser mais do que necessário a presença do seu negócio no ambiente online, certo? E é nesse cenário atual em que o VDP ganha grande destaque. 

É uma página online destinada à venda de um veículo. Ela precisa ser bem organizada, ter recursos visuais de alta qualidade e todas as informações importantes sobre o produto que está sendo anunciado. 

Aqui, por exemplo, é possível até utilizar imagens 360º para demonstrar as áreas dos veículos. Para os carros usados, essa, inclusive, pode ser a melhor forma de assegurar o fechamento do negócio.

Vale destacar que o VDP pode ser inserido em seu site, portais de vendas e até mesmo em redes sociais. O importante é contar todos os detalhes que vão colaborar com a decisão de compra.

Lembre-se que a compra de um carro, muita das vezes, significa a realização de um sonho. Portanto, a relutância e o cuidado durante esse processo fazem parte do comportamento esperado dos possíveis clientes.

Quais são os efeitos da página de detalhamento do veículo?

O VDP chega para simplificar e agilizar o processo de compra, aumentando as chances de concretização da venda. Ele precisa ser atraente e esclarecedor para o usuário que está decidindo qual veículo adquirir. 

O Vehicle Detail Page aborda tudo sobre um veículo. Para isso, conta com fotos, vídeos, especificações e detalhes que impactam na decisão de compra. Mas, lembre-se, não é para mentir nesse espaço! Isso pode gerar o efeito contrário e até má reputação para o seu estabelecimento. 

O importante é destacar as qualidades do automóvel, também apontando algumas falhas, no caso dos usados e quando existirem. Tudo isso não só ajudará o cliente a tomar a decisão, como irá fidelizá-lo. 

Isto é, o VDP colabora com a transparência das informações e com a autonomia do usuário. Nem sempre, no ambiente online, ele irá desejar entrar em contato com  o atendimento para solucionar dúvidas. Isso gera maior segurança na escolha e o deixa mais confiante em realizá-la com o seu estabelecimento. 

Ou seja, a experiência de compra dele é aprimorada! E como sabemos, esse é um sentimento que deve ser explorado pelos negócios. Isso porque a satisfação faz com que os clientes realizem boas avaliações online dos seus serviços. O que colabora com a aquisição de novos clientes e destaque mercadológico. 

Além disso, segundo dados da Zendesk, 66% dos clientes que ficaram satisfeitos recomendaram a marca para outras pessoas. E 51% deles passaram a comprar mais vezes e a usar mais os produtos e serviços daquela empresa.

É claro que tudo isso colabora com a competitividade do mercado. Basta imaginar a quantidade de negócios que podem comercializar o mesmo veículo que o do seu estabelecimento. Então, quanto mais detalhado e atrativo for a sua VDP, maiores serão as chances do cliente escolher o seu comércio no lugar da concorrência.

Como criar e usar o Vehicle Detail Page?

Com base nos efeitos causados por um bom VDP e a crescente digitalização do setor, a seguir reunimos algumas dicas de como criar e usar essa ferramenta. Confira a lista!

Capriche no anúncio online 

A primeira dica para criar e usar bem o seu VDP refere-se aos anúncios online. Em muitos momentos eles serão os responsáveis por direcionar o possível cliente para a sua página.

Então, capriche nesse momento para encantar os futuros compradores e atraí-los para a página do seu estabelecimento. Em portais de venda online, caso coloque sua VDP lá, será ainda mais importante ter esse cuidado devido à alta concorrência nesses espaços.

Aposte nos elementos visuais

E como temos visto ao longo do texto, o visual da sua VDP é o que irá garantir maior atenção dos usuários. Ele, juntamente com um bom descritivo, soluciona todas as dúvidas e demonstra, em detalhes, o veículo em questão.

Por isso, coloque na sua página de detalhamento do veículo fotos e vídeos. Vale destacar que não precisa ser, necessariamente, profissional. Basta fotografar o veículo de diferentes ângulos, com uma boa resolução e foco em todos os detalhes. 

O mesmo acontece com os vídeos. O importante é gravar cada canto do carro para confirmar a veracidade das informações, principalmente quanto ao interior do carro, motor e particularidades técnicas. 

E como vimos anteriormente, ainda é possível utilizar, com a ajuda da Inteligência Artificial (IA), artifícios mais interativos e inteligentes, como as imagens 360º. Para saber mais sobre a IA, clique aqui e acesse nosso conteúdo de blog sobre o assunto.

Trabalhe bem o descritivo

Por fim, mas não menos importante, trabalhe bem o descritivo do seu VDP. Ele é um complemento fundamental para o visual da sua página. Acrescente informações que não foram apresentadas nos outros recursos, como formas de pagamento, condições especiais, localização e dados mais técnicos.

A dica é pensar como o seu cliente. Ou seja, avalie o que escreveu e veja se você realizaria a compra a partir de todas as informações que estão na página ou se ficaria com dúvida em tal ponto. 

Neste ponto, quanto mais detalhes, melhor! Esse é um tipo de compra que exige cuidado e atenção do cliente. Ele vai querer saber de tudo antes de tomar a decisão. E o objetivo do VDP é facilitar esse processo e promover a produtividade dos seus vendedores.

E agora?

Neste texto abordamos a importância do VDP para o aumento das vendas de veículos. O uso assertivo dessa ferramenta colabora para a rentabilidade e escalabilidade do seu negócio.

E para completar as dicas apresentadas e garantir ainda mais vendas, veja nosso conteúdo sobre alta performance de vendas de veículos. Com ele você terá acesso a boas práticas que vão ajudar o seu time comercial a ter maior desempenho. Clique aqui para acessar o blog!